A Igreja de S. Miguel do Castelo é uma igreja românica onde, segundo a tradição, D. Afonso Henriques foi batizado. Junto à pia batismal, encontra-se uma lápide com a seguinte inscrição: “Nesta pia foi bavtizado El-Rey Dom Afonso Henriques pelo Arcebispo S. Geraldo no anno do Senhor 1106”.
Trata-se, por isso, de um edifício muito ligado à nacionalidade portuguesa e à sua fundação.
Sagrada em 1239, foi Capela Real e Igreja Paroquial da Freguesia de S. Miguel do Castelo até 1870, tendo sido desafetada nesta altura devido ao seu estado de ruína. Em 1875 foi reafectada ao culto e um ano antes reposicionado o antigo arco triunfal, a mando do Prior da Colegiada.
No séc. XIX esteve em ruína, tendo sofrido restauros em 1874 e 1936.
Habitualmente não se encontra aberta ao culto mas, por vezes nela se realizam celebrações religiosas.
Trata-se de uma estrutura sóbria, pequena, de grande simplicidade decorativa, de cantaria granítica aparelhada, nua; possui uma só nave com corpo e capela-mor retangulares e cobertura em madeira, com asnas decoradas; o interior apresenta conjunto notável de lápides tumulares com motivos guerreiros – espada, arco e flecha – e religiosos – Cruz de Malta; o portal singelo, o tímpano liso e duas fiadas de cachorros ornamentam as suas cornijas. Encima esta igreja uma cruz de pedra tribolada; algumas frestas abertas no granito deixam entrar uma ténue luz para o interior.
No seu interior, encontramos uma escultura em madeira policromada de S. Miguel, o patrono da igreja e uma escultura representando a Virgem com o Menino, em calcário policromado.
A Igreja de S. Miguel do Castelo é Monumento Nacional desde 1910.