Prato de "aranhões"  Este prato é decorado com um motivo conhecido por “aranhões” cuja utilização se identifica com a 2ª metade do século XVII. É marcado pelos contornos que usam o roxo de manganês que passavam a contrastar com o uso único do azul enquanto totalidade empregue na faiança de Lisboa.

O tema dos “aranhões” decorre da simplificação interpretativa que os oleiros nacionais fizeram dos motivos empregues na porcelana da China, nomeadamente as folhas de Artemísia, símbolo budista que era comummente usado na decoração da porcelana kraak que surgia em grande quantidade na Europa de então. Este elemento parte de um conjunto de oito atributos que o Confucionismo associava ao “homem sábio” e surgia, muitas vezes, associado a fitas nas peças chinesas.