D. Henrique, o borgonhês, foi pai de D. Afonso Henriques, primeiro Rei de Portugal. Era o quarto filho do Duque Henrique de Borgonha, neto de Roberto I, Duque de Borgonha, e bisneto de Roberto II, rei de França.
Em 1086 as notícias da guerra contra os muçulmanos levaram D. Henrique, que era o filho mais novo e com poucas possibilidades de alcançar fortuna e títulos, a aderir à Reconquista da Península Ibérica. Veio na companhia de seu primo Raimundo de Borgonha, filho do Conde Guilherme de Borgonha, irmão de sua mãe, colocando-se, desta feita, ao serviço de D. Afonso VI, rei de Leão e Castela.
Os dois primos granjearam grande reputação pelo seu valor nas batalhas que travaram, e como reconhecimento dos serviços prestados, D. Afonso VI casou as suas filhas, D. Urraca com Raimundo, e D. Teresa com D. Henrique.
Em 1096, D. Afonso VI, doou a título hereditário, o Condado de Portucale a D. Teresa e a D. Henrique, com a condição de lhe ser prestada vassalagem direta, e de expandir o condado para sul, anexando os territórios ocupados pelos muçulmanos.
Os novos Condes instalam-se em Guimarães com a sua corte condal e seus cavaleiros, atraindo para estas terras novas gentes a quem D. Henrique concede Carta de Foral.
Excelente guerreiro, sábio e prudente administrador, o Conde D. Henrique aumentou consideravelmente as terras do seu condado.
O Conde D. Henrique morreu a 24 de abril de 1112 encontrando-se sepultado na Sé de Braga.