Inscrição: a inscrição pode ser feita por e-mail (pduques.se@imc-ip.pt) ou diretamente no Paço dos Duques.
Torna-se efetiva após o preenchimento da Ficha de Inscrição (download) e o pagamento da quantia devida.


PROGRAMA

Início: 10:00
- Boas-vindas e apresentações
-
Fotografar (opcional)
- Preparação das soluções (precauções de segurança)
- "Salgar" o papel.
- Processamento dos negativos
- o papel com o nitrato de prata
- Expor o papel
- Fixação e lavagem das impressões


Fotografias Reveladas em Papel Salgado

O processo de impressão em papel salgado foi inventado pelo inglês William Henry Fox Talbot, quando este se apercebeu que se uma folha de papel, feita à mão e sem tratamento ácido, fosse revestida com uma substância que reagisse à luz ultra-violeta (isto é, luz do sol), teria como resultado uma impressão fotográfica duradoura. Talbot começou por imergir uma folha de papel numa solução de sal de mesa comum (cloreto de sódio) e assim que a folha secou, pintou-a com uma camada de nitrato de prata. A combinação do sódio com o nitrato e do cloreto com a prata formam uma solução sensível à luz ultra-violeta. Tudo o que lhe restava fazer era pôr um negativo a preto e branco (não existia fotografia a cores naquela altura), com uma gama de densidade à volta dos 2.0, em contacto com o papel revestido e deixar sob luz solar durante meia hora.
O método de fixação da imagem com tiosulfato de sódio para prevenir o desvanecimento da imagem foi sugerido a Talbot por John Frederick William Herschel. Através deste método seria possível reutilizar o negativo várias vezes. As impressões em papel salgado de Talbot mantêm o mesmo aspecto do dia em que foram feitas, em 1830.
Embora este método permita fazer várias fotografias a partir do mesmo negativo, na realidade, a nível técnico, é impossível fazer duas reproduções iguais a partir do mesmo negativo. Devido à quantidade de variáveis envolvidas no processo, existirão diferenças óbvias.
Deste modo, esta exibição deverá ser vista como uma colecção de impressões fotográficas individuais que partilham um tema comum.


PETER MITCHELL

Nascido no norte de Inglaterra em 1932, Peter Mitchell começou a sua carreira na indústria aeronáutica em 1949.
No início da década de 60 foi nomeado responsável regional do Prémio Duque de Edimburgo, equivalente ao Prémio Infante D. Henrique que é atribuído em Portugal, tendo sido nesta altura que começou a desenvolver interesse pela fotografia.
A partir dos anos 70 direcionou a sua formação e atividade para a área da educação, no campo da Matemática, aposentando-se em 1986.
Tendo ingressado na Royal Photographic Society em 1969, dedicou-se a tempo inteiro à fotografia após a sua aposentação. É também membro do grupo "Gamma Photoforum", um grupo de elite fotográfica, cuja lista de espera para admissão é muito longa.
Em 2003 imigra para Portugal, tendo-se dedicado à fotografia no nosso país e em especial em Guimarães.

"Salt Prints"