Pela sua indubitável importância no princípio do reino de Portugal, esta data é celebrada, muito especialmente, em Guimarães como o DIA UM DE PORTUGAL, e homenageado com a atribuição de Feriado Municipal.
Para comemorar esta que ficou conhecida como “A primeira tarde portuguesa”, expressão adotada pelo Professor José Mattoso a partir de um painel de Acácio Lino, o Castelo de Guimarães e o Paço dos Duques de Bragança decidiram homenagear esta data através da partilha de um conjunto de trabalhos do artista vimaranense João Carlos Soares. Nesta coleção, o visitante pode encontrar um vasto conjunto de aguarelas de Afonso Henriques, o Conquistador, o herói deste confronto decisivo que, nove séculos depois, continua a ser um dos mais míticos e acarinhados monarcas de sempre.


João Carlos Soares: Vimaranense que pinta com pinta


Declaradamente caricaturista, cartoonista e aguarelista, João Carlos Soares demonstrou já pela obra produzida que tem talento bastante para competir com os melhores desta modalidade artística. Ajudou na criação e coordena o Vimaranes, bem como colabora no site oficial do Vitória Sport Clube mediante a apresentação de cartoons. Desde a época de 2007/2008 vem reproduzindo caricaturas dos diversos atletas, com elas expondo em diversos locais de renome.
Durante o ano de 2012 Guimarães acolheu a Capital Europeia da Cultura, cujo centro histórico foi palco de intensa movimentação diurna e nocturna. O mais mediático cartoo-nista vimaranense para os aficionados vitorianos marcou presença nos momentos e lugares mais apetecíveis. De todas as exposições realizadas, realce para uma aguarela sobre Guimarães que foi exposta no Restaurante Oriental, aquando da vinda dos Presidentes da República, da Comissão Europeia e as mais representativas personalidades locais e regionais.
Mas este talentoso artista vimaranense não precisou de esperar pela CEC para revelar as suas capacidades artísticas e intelectuais.
Já como desenhador profissional de projectos da área da Construção Civil se afirmara anos antes. E no ano de 2011, de acordo com a mais antiga tradição historicista, completaram-se os nove séculos do nascimento de Afonso Henriques (25 de Julho e em Guimarães). Um grupo de cidadãos comemorou em 25 de Julho de 2011 essa data. Nesse dia foi apresentado o livro: “D. Afonso Henriques 900 anos - 1111-2011”, cuja capa é da autoria de João Carlos Soares.
Afonso Henriques 900 Anos
O motivo dessa capa foi ampliado e devidamente emoldurado, resultando numa obra de arte que nesta altura se encontra à mercê dos visitantes, no Paço dos Duques de Bragança.
Coincidentemente, foi através desse livro comemorativo dos 900 anos de Afonso Henriques que se chegou ao conhecimento do Aparato Histórico sobre a santidade do Rei D. Afonso Henriques.
Poucas vezes, em situações culturais, dois factos históricos se conjugaram tão oportunamente no espaço e no tempo.
Quem vier a possuir essa obra de arte levará esta certeza: nesse Aparato Histórico da autoria do Padre Vimaranense José Pinto Pereira (1659-1733) tentou demonstrar que Afonso Henriques foi considerado «Pio, Beato e Santo». Essa tese foi defendida em Roma, no dia 24 de Julho de 1727. 
Mas esteve retida todos estes anos e só na edição de 7 de Outubro de 2011, do Jornal “Notícias de Guimarães”, o autor do livro «D. Afonso Henriques 900 anos - 1111-2011» alertou para essa existência.
Ainda bem que a Câmara de Guimarães aceitou patrocinar a sua edição, sabiamente traduzida.

Barroso da Fonte
Batalha de S. Mamede