No âmbito da sua acção de estudo e divulgação das suas diferentes colecções, o Paço dos Duques apresenta, de 12 de Novembro, até ao final do ano 2010, uma exposição temporária denominada MÓVEIS DE ASSENTO NA COLECÇÃO DO PAÇO DOS DUQUES, que mostra alguns dos melhores exemplares deste tipo de acervo, com peças desde o Séc. XVI ao Séc. XX, que nos permitem observar a evolução deste tipo de mobiliário e a forma como ele se impõe com o evoluir dos tempos.

Se dissermos que os assentos constituem uma das invenções de mais transcendentes consequências na vida da Humanidade, poderemos esboçar um sorriso de franca incredulidade, habituados como estamos a olhá-los como objectos desde longa data considerados dos mais simples e comuns.
Os assentos pertencem a essa classe de objectos e de utensílios que trouxeram o inapreciável benefício de concorrer para que a vida se tornasse mais fácil e agradável.
O homem ao obter um meio que lhe consentia prescindir do solo para sentar-se, dignificou-se aos seus próprios olhos e libertou-se definitivamente dos últimos elos que o prendiam à bruta animalidade.
Os assentos passaram, assim, a desempenhar uma função social que ainda hoje, nesta época de igualitarismos fictícios, se não obliterou por completo
.”

PINTO; Augusto Cardoso, Cadeiras Portuguesas, Lisboa, Autor, 1952, p. 14, 15 e 19.