A Casa de Bragança teve origem no casamento de D. Afonso, filho bastardo de D. João I e D. Inês Pires Esteves, com D. Beatriz Pereira, filha de D. Nuno Álvares Pereira, o Condestável do Reino durante o reinado do Mestre de Avis.

 D. Fernando I (1403-1478)  
 
2.º Duque de Bragança, sucedeu a D. Afonso, destacando-se pela sua participação ativa nas várias campanhas militares no Norte de África. Casou com D. Joana de Castro
 

D. Fernando II
(1430-1483)
 
 
Desposou D. Leonor de Meneses e, posteriormente, D. Isabel. A sua atividade política foi um tanto agitada, conspirando com Castela contra a coroa portuguesa. Foi executado em Évora, no ano de 1483, e os seus bens confiscados, por ordem de D. João II. Com D. Manuel I a Casa de Bragança é reabilitada e os seus membros, exilados em Castela, regressam ao reino.
 

D. Jaime
(1479-1532)
 
  Presumível herdeiro da coroa, teve grandes êxitos em terras de África. Casou em primeiras núpcias com D. Leonor de Mendonça e, posteriormente, com D. Joana de Mendonça.
 

D. Teodósio I (?-1563)
 
  Contraiu matrimónio com D. Isabel de Lencastre e depois com D. Beatriz de Lencastre.
 

D. João
(1543-1585)
 
  Casou com a sua prima coirmã D. Catarina, perfilando-se como pretendente à coroa portuguesa, devido à morte de D. Sebastião e ao curto reinado do Cardeal D. Henrique. No entanto, o seu envolvimento com o Filipe II de Espanha, afastaram-no dessa pretensão
 

D. Teodósio II
(1568-1630)
 
  7º duque de Bragança assistiu, com apenas dez anos, à batalha de Alcácer-Quibir, onde ficou cativo, no ano de 1578. Desposou D. Ana de Velasco y Girón de quem teve quatro filhos. O seu primogénito, D. João II, herdou o Ducado de Bragança e foi coroado rei de Portugal, com o nome de D. João IV, após o golpe palaciano de 1640, iniciando-se desta forma a Dinastia de Bragança.